Quem me acompanha

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Dicas para escolher o espumante



Para quem está com dúvidas para escolher o espumante da festa, do jantar ou do receptivo esta matéria vai ajudá-lo a sanar muitas dessas dúvidas. Trata-se do blog Falando de Vinhos, escrito por João Filipe Clemente.
Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

Mais algumas informações:

"Vinho e comida

As comidas alteram sua percepção do vinho. Em certas ocasiões, a perfeita harmonia entre comida e vinho é experiência memorável. Evidentemente isso não pode se tornar uma obsessão.Simplesmente lembre-se:

Vinhos de corpo mais leve combinam com comida de corpo leve - como peixe de carne branca, e vinhos mais encorpados combinam com comidas mais pesadas - bifes. Se a comida leva um toque de limão, combina com vinho branco.

Há um ditado que diz: Compre com pão e venda com queijo. Ou seja, o pão não altera o paladar e para vender, ofereça a seu cliente queijo cujas proteínas vão amaciar os taninos do vinho e torna-lo mais harmonioso e menos agressivo.

Atenção com a haste

Muitos não percebem que a taça de vinho pode alterar sensivelmente suas percepções. Faça um teste usando um copo de geléia e uma taça degustando o mesmo vinho. A diferença é surpreendente. Uma boa taça deve ser:

Clara - para avaliar a cor

Forma de tulipa - com o bojo maior (para agitar o vinho) e a boca mais estreita (para concentrar os aromas)

Sem sabão - resíduo de sabão pode "matar" seu vinho

O tamanho é problema? Bem, uma taça de tamanho médio é perfeita para a maioria dos vinhos, inclusive os espumantes. Quando encontram em uma mesa duas taças, a menor é para vinhos brancos e a maior para os tintos. Os brancos são mais delicados e não é necessário agita-los para abrir seus aromas.

Ao servir o vinho, deixe espaço para o movimento de girá-lo. Em uma degustação, uma garrafa de 750ml servirá facilmente 10 pessoas. Num jantar, dobre o volume."


E para quem quiser ler mais um pouco:

"FALANDO SOBRE VINHO


Sem dúvida, a parte de avaliação sensorial mais difícil vem com a descrição. Paradoxalmente, a melhor maneira de começar a descrever é não dizendo nada. Nem tente pensar em uma descrição nos primeiros 15 segundos depois de cheirar e provar. Permita que a impressão geral do vinho se desenvolva devagar, deixe o vinho vir a você.

A próxima etapa é procurar as descrições específicas. A maioria das pessoas começa com os aromas frutados. Por exemplo, vinhos brancos normalmente evocam frutas frescas claras, incluindo cítricos, frutas tropicais. Degustadores geralmente especificam particularmente os frutos dessas famílias, como limão ou grapefruit, maçã ou pêra, manga ou abacaxi. Para os vinhos tintos, as famílias de frutas mais importantes incluem frutas vermelhas e árvores frutíferas. Alguns exemplos detalhados são morango, framboesa, blueberry, cereja preta, e ameixa.

Depois dos aromas de fruto outros cheiros como baunilha, especiarias, minerais e tabaco. Depois vem a descrição da estrutura tal como sólido ou macio. Finalmente você retorna ao início, com descrições como elegante, delicado, musculoso, potente.

Dicas de descrições


Pedir um vinho num restaurante requer um mínimo de terminologia. Pode deixar para o staff o auxílio mais complicado: "Estou querendo um vinho que harmonize com - seu prato principal. Poderia indicar dois diferentes e descreve-los?" Assim você só terá que escolher entre eles.

Para recomendações mais específicas, mencione suas preferências: "Prefiro vinhos com acidez mais viva e não me agrada madeira muito perceptível".

Aqui estão algumas das categorias básicas que ajudarão o garçon ou sommelier a fazer uma recomendação que seja mais adequada ao que deseja:

Cor -Branco, rose ou tinto

Corpo - Mais leve ou mais encorpado

Madeira - Com ou sem carvalho

Doçura - Seco ou doce. Cuidado com o termo frutado. O vinho frutado não quer dizer um vinho suave.

As descrições baseadas nas categorias podem incluir: "Gostaria de um tinto encorpado e madeirado" ou "gostaria de um branco mais leve e seco".

Nas lojas de vinho, alguns detalhes adicionais tais como a origem do vinho, a ocasião, o prato e a lista de preços podem ajudar a encontrar a garrafa que lhe agradará. "Procuro um tinto para servir com um frango assado neste fim de semana, na faixa de 20 a 30 reais" Estabelecer suas preferências é importante.

Notas de degustação

Quanto mais fielmente você descrever um vinho, melhor você lembrará dele e mais rico será seu arquivo de degustação, comparando e avaliando os vinhos. Escrever as notas de degustação ajuda a praticar para tal é interessante seguir a metodologia já abordada. Uma nota de um vinho branco doce deveria ser lida: "Este vinho é claro e translúcido, mas não brilhante, com cor dourada intensa. Oferece aromas de casca de laranja, damasco seco, baunilha e especiaria. Vinho encorpado, opulento e doce, ainda com acidez suficiente para estar balanceado (equilibrado)."

Fonte: Casa do Vinho


Espero que tenham gostado.

5 comentários:

Mari e Eder disse...

o nosso sera conde de foucald...brut e demi-sec!
só to em duvida se ja comprou ou espero mais...
bj

Drika disse...

adorei o post....bjs

Ju disse...

Mt legal, vou ler a matéria!!

Pri disse...

Ei Sheila, que legal! Agora eu entendo um pouquinho de vinhos, rsrs!
Quanto ao cakepop, eu entendi que o bolinho esfarelado é um bolo comum mesmo, no caso foi usado de chocolate. Coloque o link do PAP sim! Por favor!!
Beijão

Maura e Gui disse...

Eu vou de Freixenet mesmo! rsss
Bjos e ótimo findi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...